​​

INTEGRAÇÃO DA PERSPETIVA DO GÉNERO NO EXÉRCITO

 

As perspetivas, aptidões e qualidades dos homens e das mulheres são diferentes, embora sejam complementares. Assim, quando conjugadas adequadamente, permitem aumentar a operacionalidade dos meios humanos do Exército.

O novo paradigma em que a ação militar decorre, cada vez mais em ambientes centrados no lado civil do conflito, ou seja, na sua população, tem valorizado os fatores mais intangíveis, ou não cinéticos, de que o género é parte integrante.

A integração do género no trabalho dos militares deve ser construída sobre o entendimento de que os homens e as mulheres têm diferentes perceções de segurança, exigindo medidas adequadas que incluem assimilar as perspetivas tanto masculina como feminina.

Assim, o género deve ser encarado como uma nova capacidade do Exército, que contribui para que seja assegurada a segurança de toda a população, homens e mulheres, permitindo ter acesso a um maior número de fontes de informação, e para que as mulheres participem nos processos de construção da paz, pré-requisito para a estabilidade, aumentando, assim, a sua eficácia operacional.

NOTÍCIAS

 

Em junho deste ano, a Major Eng Diana Morais foi eleita por unanimidade para o cargo de Vice-Presidente do Comité Executivo do NATO Committee on Gender Perspectives (NCGP), um dos comités mais antigos da Aliança.

Portugal participou com uma delegação interdepartamental na Conferência Anual, que reuniu mais de 100 elementos militares e civis provenientes da NATO e de países parceiros, academia, sociedade civil, Nações Unidas e da União Europeia.

O tema da Conferência deste ano foi “Além dos estereótipos – integração da perspetiva do género na projeção de estabilidade”. Delegados e observadores discutiram como integrar a perspetiva de género nas operações marítimas, na crise de migrantes e refugiados, na edificação de capacidades e no combate ao terrorismo.

 

Em março, a Tenente ADMIL Ema Gonçalves representou o Exército nas Comemorações dos 40 anos da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), no Teatro da Trindade, em Lisboa.


 

 

 
Exército Portugues
Iremos até onde a Pátria for,
e seja em paz,
ou seja em guerra,
que este clamor
vibre imortal,
de mar em mar,
de serra em serra:
Portugal! Portugal! Portugal! 

Hino do Exército, 1945,
Letra de Adolfo S. Muller
© Exército Português 2016