​​​​​​​​​​​​​​​

 

 

In Memorian - GENERAL JOSÉ ALBERTO LOUREIRO DOS SANTOShttps://www.exercito.pt/pt/informação-pública/notícias/750In Memorian - GENERAL JOSÉ ALBERTO LOUREIRO DOS SANTOS19/11/2018 00:00:00In Memorian - GENERAL JOSÉ ALBERTO LOUREIRO DOS SANTOS<img alt="" src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Template%20Fotos%20Noticias.png" width="840" style="BORDER:0px solid;" />GENERAL JOSÉ ALBERTO LOUREIRO DOS SANTOS<p><img src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Template%20Fotos%20Noticias.png" alt="" style="margin:5px;" /> </p><p style="text-align:justify;">Pela lei da vida e da morte, deixou-nos, em 17 de novembro de 2018, o General José Alberto Loureiro dos Santos, a quem o Exército, neste momento de despedida, presta uma muito sentida homenagem ao militar, ao chefe e ao académico, consubstanciada numa invulgar carreira de sucesso.</p><p style="text-align:justify;">Natural de Vilela do Douro, freguesia de Paços, concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, José Alberto Loureiro dos Santos ingressou, em 1953, na Escola do Exército, atual Academia Militar, onde concluiu o Curso de Ciências Militares - Arma de Artilharia. </p><p style="text-align:justify;">Desenvolveu uma extensa e brilhante carreira militar, no país e em África, reconhecida através de inúmeros louvores e condecorações, concedidos por entidades nacionais e estrangeiras. No seu currículo militar constam duas comissões em África, nomeadamente em Angola, de 1962 a 1965, e em Cabo Verde, de 1972 a 1974, bem como o desempenho dos mais relevantes cargos militares: Encarregado do Governo e Comandante-Chefe de Cabo Verde, Diretor do Instituto de Altos Estudos Militares, Comandante-Chefe das Forças Armadas na Madeira, Vice-Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (Vice-CEMGFA) e Chefe do Estado-Maior do Exército.</p><p style="text-align:justify;">Homem de superior inteligência e profundas convicções, foi sempre um defensor e um impulsionador dos valores democráticos, tendo-se empenhado de forma muito ativa no caminho traçado por Portugal no decurso do século XX. A sua postura interventiva conduziu-o, naturalmente, ao desempenho de importantes cargos públicos: Secretário Permanente do Conselho da Revolução e Membro do Conselho da Revolução, por inerência das funções de Vice-CEMGFA, e Ministro da Defesa Nacional nos IV e V Governos Constitucionais.</p><p style="text-align:justify;">Com dedicada e abnegada postura profissional e cívica, empenhou-se igualmente no estudo da História Militar, da Estratégia, dos assuntos de Segurança e Defesa, das Relações Internacionais, a par da frequência dos cursos inerentes à sua carreira militar, dos quais se destacam o Curso de Estado-Maior e o Curso de Comando e Estado-Maior do Exército Brasileiro, o qual lhe conferiu o doutoramento em Ciências Militares.</p><p style="text-align:justify;">A sua sólida formação e grande cultura, aliadas a uma invulgar capacidade de trabalho, possibilitaram-lhe desenvolver um vasto trabalho de investigação e uma intensa atividade académica, nomeadamente como Professor no Instituto de Altos Estudos Militares, no Instituto de Defesa Nacional e no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. De igual modo, tornou-se sócio efetivo da Academia de Ciências de Lisboa, membro do Conselho Científico do Centro de Investigação de Segurança e Defesa do Instituto de Estudos Superiores Militares, membro do Conselho de Honra do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e membro cooptado do Conselho Geral da Universidade Nova de Lisboa, membro fundador do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, Presidente da Assembleia Geral do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo e Membro do Grupo de Reflexão Estratégica do Ministério da Defesa Nacional.</p><p style="text-align:justify;">Fruto dos seus profundíssimos conhecimentos das matérias de segurança e defesa, alicerçados na sua vasta e distinta experiência profissional, foi chamado a proferir inúmeras conferências, tendo ainda colaborado com vários órgãos de comunicação social, comentando e escrevendo artigos de inquestionável oportunidade e manifesta pertinência.</p><p style="text-align:justify;">Teve ainda disponibilidade e energia para produzir extensa obra escrita a participar na elaboração de várias obras coletivas. Da sua autoria destacam-se os livros Apontamentos de História para Militares (1979), Forças Armadas, Defesa Nacional e Poder Político (1980), Incursões no Domínio da Estratégia (1983), Abordagem Estratégica da Guerra da Independência (1986), Como Defender Portugal (1991), Reflexões sobre Estratégia, Temas de Segurança e Defesa (2000), Segurança e Defesa na Viragem do Milénio, Reflexões sobre Estratégia II (2001), Ceuta 1415 - A Conquista (2002), A Idade Imperial,  Reflexões sobre Estratégia III (2003), E Depois do Iraque? (2003), Convulsões - Ano III da Guerra ao Terrorismo,  Reflexões sobre Estratégia IV (2004), O Império Debaixo de Fogo - ofensiva contra a Ordem Internacional Unipolar; Reflexões sobre Estratégia V (2006), A Ameaça Global - O Império em Cheque  - A Guerra do Iraque em Crónicas (2008), As Guerras que já estão aí e as que nos esperam, se os políticos não mudarem, Reflexões sobre Estratégia VI (2009), História Concisa de Como se Faz a Guerra (2010), Forças Armadas em Portugal (2012) e Tempo de Crise - Reflexões sobre Estratégia VII (2014).</p><p style="text-align:justify;">O General Loureiro dos Santos dedicou a sua vida à Família, ao Exército e à valorização cultural e cívica dos Portugueses, militares e civis. Com elevada disponibilidade e notória generosidade pessoal, dedicou-se intensamente à Pátria, de que foi um cidadão exemplar e de inexcedível disponibilidade em ações que se reputam de elevado mérito literário, científico e artístico.</p><p style="text-align:justify;">Cumpre-nos preservar dinamicamente a memória do General Loureiro dos Santos e prestar-lhe singelo e humilde tributo - à sua imagem - reiterando o enorme respeito pela sua dedicação, sagacidade, capacidade de liderança, pragmatismo, empatia e camaradagem. Por tudo o que foi, e por tudo o que realizou, guindou-se ao estatuto de personalidade exemplar da nossa História, sendo credor do mais profundo reconhecimento, pelos extraordinários e distintíssimos serviços que prestou ao Exército, aos Portugueses e a Portugal. </p><p style="text-align:justify;">Até sempre, meu General!</p><p> </p><p style="text-align:justify;"><strong>Lisboa, 19 de novembro de 2018</strong></p><p style="text-align:center;"><strong> </strong></p><p style="text-align:center;"><strong>O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO</strong></p><p style="text-align:center;"><strong> </strong></p><p style="text-align:center;"><strong> </strong></p><p style="text-align:center;"><strong>JOSÉ NUNES DA FONSECA</strong></p><p style="text-align:center;"><strong>GENERAL</strong></p>

Exército Portugues
Iremos até onde a Pátria for,
e seja em paz,
ou seja em guerra,
que este clamor
vibre imortal,
de mar em mar,
de serra em serra:
Portugal! Portugal! Portugal! 

Hino do Exército, 1945,
Letra de Adolfo S. Muller
© Exército Português 2018