Exército Português

​​​​​​​​​​​​​​​

 

 

Exército participa no maior Exercício da Aliança Atlântica desde o final da Guerra Friahttps://www.exercito.pt/pt/informação-pública/notícias/763Exército participa no maior Exercício da Aliança Atlântica desde o final da Guerra Fria28/11/2018 00:00:00Exército participa no maior Exercício da Aliança Atlântica desde o final da Guerra Fria<img alt="" src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Trident2018_04.jpg" style="BORDER:0px solid;" />O Exercício internacional <i>“Brilliant Jump II</i> e <i>Trident Juncture I“</i> contou com a participação de 51.000 militares, de 31 nacionalidades diferentes<p><img src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Trident2018_01.jpg" alt="" style="margin:5px;" /> <img src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Trident2018_02.jpg" alt="" style="margin:5px;" /> <img src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Trident2018_03.jpg" alt="" style="margin:5px;" /> <img src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Fotos_Noticias/2018/Trident2018_04.jpg" alt="" style="margin:5px;" /></p><p style="text-align:justify;">​Satisfazendo os compromissos internacionais assumidos por Portugal, o Exército Português participou no Exercício “<em>Brilliant Jump II</em> e <em>Trident Juncture</em> <em>I</em>" (TRJE), que decorreu entre os dias 25 de outubro e 8 de novembro, na região da Escandinávia.</p><p style="text-align:justify;">Planeado pelo <em>Allied Joint Force Command Nápoles</em>, um Comando Militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (<em>North Atlantic Treaty Organization </em>- NATO), o TRJE, considerado o maior exercício da Aliança Atlântica desde o final da Guerra Fria, teve como objetivo principal projetar as forças da NATO em climas frios, num treino conjunto e combinado entre as suas Forças de Reação (<em>NATO Response Force</em> - NRF).</p><p style="text-align:justify;">Com uma Área de Operações que abrangeu a Noruega, a Suécia, a Finlândia e a Islândia, o TRJE contou com a participação de 51.000 militares, de 31 nacionalidades diferentes, oriundos dos países membros da NATO e de países amigos.</p><p style="text-align:justify;">Composto por várias fases, das quais se destacam os exercícios de Postos de Comando (<em>Command Post Exercise </em>- CPX), os exercícios de Fogos Reais (<em>Live Fire Exercise </em>- LFX), as manobras do exercício de Campo de Treino (<em>Field Trainning Exercise </em>- FTX), que causaram o maior impacto e suscitaram o maior interesse do público em geral, este Exercício, para além dos recursos humanos envolvidos, contabilizou a participação de 65 navios, cerca de 250 aeronaves e mais de 10.000 viaturas. </p><p style="text-align:justify;">O Exército Português, cuja presença no Exercício foi materializada através de 8 militares, dos quais 7 oriundos do Regimento de Cavalaria nº3 (RC3), de Estremoz, e 1 proveniente do Regimento de Infantaria nº 1, sediado em Beja, integrados na <em>Enhanced NATO Response Force VJTF (L) 18 Brigade</em>, participou ativamente em duas células distintas. Uma célula, constituída por 4 militares, incorporou o G2 Branch da Brigada ARIETE Italiana, que foi projetada para a região de Lesja, na Noruega. A outra célula, do Esquadrão de Reconhecimento, composta por 4 militares, que se encontra em <em>Very High Readiness </em>para a NRF 2018, incorporou o Batalhão ISTAR (<em>Intelligence, Surveillance, Target Aquisition and Reconnaissanse</em>) espanhol, da Brigada Ariete, projetados para a região de Otta, na Noruega.</p><p style="text-align:justify;">Estes militares portugueses, que integraram o Estado-Maior da Brigada ARIETE, desempenharam as suas funções na área das Informações, tendo o Esquadrão de Reconhecimento efetuado, para além das missões de reconhecimento, ações de segurança nas cidades de Oppdal, Engan e Kongsvold, e realizado um <em>cross training</em>, com os elementos de patrulhas de montanha e de patrulhas de longo raio de ação do contingente espanhol. </p><p style="text-align:justify;">Neste Exercício, de enorme dimensão e visibilidade internacionais e onde foi realçada a importância da área das informações enquanto área do conhecimento, ficou patente, uma vez mais, o profissionalismo e as capacidades dos militares do Exército Português, bem como a sua experiência adquirida nas missões que, sob a égide da NATO, têm cumprido com um reconhecido e exemplar desempenho e humanismo.</p>

Exército Portugues
Iremos até onde a Pátria for,
e seja em paz,
ou seja em guerra,
que este clamor
vibre imortal,
de mar em mar,
de serra em serra:
Portugal! Portugal! Portugal! 

Hino do Exército, 1945,
Letra de Adolfo S. Muller
© Exército Português 2018