​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

 

 

 

BrigInthttps://www.exercito.pt/pt/quem-somos/organizacao/ceme/cft/brigint/ri13/BrigIntBrigIntBrigIntRegimento de Infantaria Nº 13COMANDANTE <br> Coronel <br> Dias LagesADJUNTO <br>Sargento-Chefe <br> Mezias da Eira<a href="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/RI13/heraldica_RI13.pdf"><img alt="" src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/RI13/Bras%c3%a3o%20RI13_182x226.png" style="BORDER:0px solid;" /></a><h3>história  </h3><p> </p><p>​A história do Regimento de Infantaria Nº 13 remonta à criação da Companhia, do Terço e do Regimento de Infantaria de Peniche, dos quais descende diretamente. <br></p><p style="text-align:justify;">O primeiro documento oficial conhecido que se refere explicitamente ao Terço de Peniche é a consulta de 13 de Março de 1698, onde consta a nomeação do Conde de S. João para Comandante do Terço de Peniche, que por essa época é “levantado de novo". Contudo o Terço de Peniche só será criado a sete de Junho de 1698, através do decreto reorganizador da Infantaria e da Cavalaria, com 670 infantes e a gente que tinha aquele presídio, ou seja, a Praça de Guerra de Peniche, tendo sido levantado com base nas companhias de infantaria que, em 1693, faziam já parte da guarnição daquela praça de guerra.<br></p><p style="text-align:justify;">Em 1707, com a publicação das novas ordenanças de D. João V, os Terços passaram a designar-se por Regimentos.</p><p style="text-align:justify;">Na sequência da organização do Exército levada a cabo em 1806, os Regimentos passaram a ser numerados, tendo sido atribuído ao Regimento de Peniche o nº 13.<br></p><p style="text-align:justify;">A 15 de Agosto de 1829, D. Miguel determina que os Regimentos sejam novamente designados pelos nomes das terras onde têm os seus quartéis. Apesar desta determinação só produzir efeitos em Abril de 1831, como o RI13 tem já nessa altura o seu quartel permanente na cidade de Leiria toma a designação de “Regimento de Infantaria de Leiria".</p><p style="text-align:justify;">Um decreto de 1841 determina para o seu quartel permanente a praça de Chaves onde se conserva como Regimento até 1883.</p><p style="text-align:justify;">Por determinação do Ministro da Guerra, o RI13 foi transferido para Vila Real, onde entrou na manhã de 30 de Agosto de 1883. Ficou aquartelado no Convento de S. Francisco, com as secretarias instaladas em casas particulares da família Francisco Botelho, na Rua do Carmo.<br></p><p style="text-align:justify;">As atuais instalações são inauguradas em 15 de Junho de 1952.</p><p style="text-align:justify;"> </p><h3>MISSÃO </h3><p> </p><ul style="text-align:justify;"><li><p>O Regimento de Infantaria Nº13 (RI13) apronta o 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado de Rodas (1BIMecRodas).</p></li></ul><p style="text-align:justify;"> <br></p><h3 style="text-align:justify;">COMPETÊNCIAS</h3><p> </p><ul><li><p>Comandar e gerir os recursos humanos, materiais e financeiros postos à sua disposição.</p></li><li><p>Garantir a segurança da unidade e a disciplina dos efetivos que lhe sejam atribuídos.</p></li><li><p>Organizar, treinar e manter o 1BIMecRodas.</p></li><li><p>Organizar e desenvolver o treino individual, garantindo a manutenção dos padrões de desempenho operacionais estabelecidos.</p></li><li><p>Incorporar, os militares destinados aos regimes de voluntariado e de contrato.</p></li><li><p>Constituir-se como polo de formação da Escola das Armas.</p></li><li><p>Constituir, à custa do Encargo Operacional, como polo de formação, no âmbito de Sistema de Formação do Exército.</p></li><li><p>Efetuar ações no âmbito da divulgação do serviço militar e do recrutamento.</p></li><li><p>Planear e coordenar a manutenção das infraestruturas à sua responsabilidade.</p></li><li><p>Participar na defesa terrestre do território nacional, de acordo com as missões que lhe sejam cometidas em planos operacionais.</p></li><li><p>Prestar cuidados de saúde e de proximidade, através da Unidade de Saúde, aos militares do Exército, e na sua capacidade sobrante a outros utentes de acordo com as diretivas superiores e ao abrigo de protocolos estabelecidos.</p></li><li><p>Colaborar em ações de apoio ao desenvolvimento e bem-estar da população, conforme lhes for determinado.</p></li><li><p>Garantir o cumprimento das disposições legais sobre servidões militares na área à sua responsabilidade.</p></li><li><p>Cumprir outras missões ou realizar outras tarefas que lhe sejam cometidas superiormente.</p></li></ul>41.309939, -7.735454916 114 780259 303 589Praça 25 de Abril 5000-424 Vila Real Portugal

 

 

BrigInthttps://www.exercito.pt/pt/quem-somos/organizacao/ceme/cft/brigint/ri13/BrigIntBrigIntRI13 Regimento de Infantaria Nº13L0|#0dbe0cc72-6f4b-43aa-a5b8-35e434521daf|CEME:CFT:BrigInt:RI134<img alt="" src="http://assets.exercito.pt/SiteAssets/RI13/Cart%c3%a3o_RI13.png" style="BORDER:0px solid;" />

Exército Portugues
Iremos até onde a Pátria for,
e seja em paz,
ou seja em guerra,
que este clamor
vibre imortal,
de mar em mar,
de serra em serra:
Portugal! Portugal! Portugal! 

Hino do Exército, 1945,
Letra de Adolfo S. Muller
© Exército Português 2018